Outro Soldadinho de chumbo

( Adaptado do conto famoso de Hans Christian Andersen )

Semana passada foi meu aniversário, e eu fiquei muito animado com os presentes!

Menino

Claro que eu gosto de bola, pipa, jogos e muito mais, e ganhei de tudo um pouco. Mas nada se compara aos soldadinhos de chumbo, com suas armas e uniformes incríveis, que ganhei do meu tio. Comecei logo a brincar, e não queria mais parar.

Soldadinhos de chumbo

Tinha vários soldados, amigos e inimigos, antigos e modernos, formando exércitos quase de verdade. Lutamos muitas batalhas, sempre vencendo, é claro.

Um dos soldadinhos veio com uma perna faltando, mas ele era o mais esperto, e eu ganhava todas quando ele fazia parte da luta. Até a bailarina da caixinha de música ficava alegre quando ele brincava comigo e acertava os inimigos!

Soldado atirando deitado

- O problema é que no dia seguinte chegou um cara chato, filho de uma amiga da mamãe. As duas ficaram de papo na sala, blá-blá-blá, bla-bla-bla e eu aturando o garoto. Em tudo ele mexia sem pedir "por favor". Foi logo abrindo armários e gavetas, botando os brinquedos novos todos para fora, na maior bagunça, espalhando palavras más enquanto jogava tudo pelo chão: "este é velho", "este é feio", "este parece bobo"... Sabe o tipo que finge que não ouve o que a gente diz? Tentei chamar a mamãe, mas as duas continuavam na sala bla-bla-bla blá-blá-blá.

Chato

Voltei para o quarto bem na hora que o chato jogava pela janela meu soldadinho de chumbo favorito de uma perna só, enquanto tocava minha corneta, que eu também não emprestei.

-Joguei fora aquele soldado com defeito, não serve mais para mim. Eu só gosto de tudo o que é perfeito (disse o garoto chato).

O tempo estava ficando feio junto com a minha raiva ( e a da bailarina também ). Caía uma chuva forte, inundando as ruas.

temporal

Meu soldadinho caiu pela janela aberta, mas eu não pude pegá-lo de volta: um barquinho de papel estava passando ali embaixo bem na hora, e foi dentro dele que o soldadinho caiu.

barquinho

E o barquinho foi navegando rápido pelas águas das ruas, entrou pelo bueiro, passou por baixo das casas, das praças, das padarias, das lojas, das escolas, farmácias, até chegar no mar.

Mar

Chegando lá, a onda do mar foi forte demais para o barquinho de papel, que se desdobrou. E o soldadinho de chumbo foi afundando, afundando, querendo muito que eu o salvasse, mas sem descobrir como. Quando estava quase chegando à areia do fundo do mar, onde eu jamais conseguiria pegá-lo...

Peixe grande

Um peixe guloso pensou que ele fosse um delicioso alimento. Abriu o bocão e engoliu o soldadinho de chumbo inteirinho, que só assim não caiu no fundo do mar.

Pouco depois, o mesmo bocão foi morder a isca do anzol do pescador, que o tirou do mar para vender.

Quando mamãe foi ao mercado, comprou várias coisas, e já estava quase indo embora quando viu os peixes frescos chegando. Parou para escolher algum bem saboroso. Olhou bem, apertou aqui e ali, até ficar satisfeita com aquele.

Ao preparar o peixe para a janta, abriu sua barriga e encontrou lá dentro o soldadinho que estava faltando. Logo me chamou, e eu fiquei muito contente:

- Meu soldadinho voltou!

Lavei bem, e corri para o quarto para mostrar a todos os meus brinquedos quem tinha voltado para casa.

A bailarina, que tinha passado os dias triste e paradinha, voltou a ligar a música e dançar de alegria. O soldadinho parecia que só tinha saudades dela.

Soldadinho e bailarina
© Disney

( Acho que estão namorando)

O bom mesmo é que, deste aniversário em diante, eu é que resolvo quem entra ou não entra mais no meu quarto, e mexe nos meus brinquedos. Aqui não é lugar para qualquer um e, se eu não gostar, já sei botar os chatos para fora.

Cai fora

FIM

De novo!